Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A arte de comer com prazer e sem culpa. Alimentação saudável não significa ausência dos prazeres gastronômicos


Um assunto que anda na boca do povo é a alimentação. A mudança nos hábitos alimentares da população tem preocupado os especialistas (nutricionistas/endocrinologistas) e gerado discussões em torno de como trabalhar a conscientização e a reeducação alimentar. Cuidar da alimentação sem deixar de lado os prazeres que a culinária nos proporciona é realmente um desafio, principalmente para aqueles que possuem hábitos alimentares pouco positivos ao organismo. A proposta de uma alimentação saudável assusta, pois logo se associa ao mito da ausência dos prazeres gastronômicos. Comer bem não é comer muito, assim como comer pouco, não é comer bem. Na verdade, uma alimentação balanceada não significa de forma alguma comer sem sabor e sem prazer, mas sim de forma equilibrada e de acordo com as suas necessidades nutricionais. Ao longo da vida, as necessidades nutricionais modificam-se e sofrem alterações de acordo com a nossa idade, estilo de vida e metabolismo. Uma alimentação saudável e equilibrada é essencial para a prevenção de doenças e para a manutenção e recuperação da saúde. Para se obter uma alimentação balanceada, o primeiro passo é procurar um profissional da área da saúde capacitado a elaborar um cardápio adaptado ao seu estilo de vida e suas necessidades nutricionais, pois, cada um possui uma particularidade. O equilíbrio e o sucesso de uma boa alimentação estão na qualidade e na quantidade do que consumimos. Uma pequena alteração na rotina alimentar pode trazer grandes resultados aos que se propõe a melhorar a qualidade de vida através de algumas mudanças na alimentação. A alimentação é considerada saudável quando possui os grupos de alimentos - carnes, frutas, verduras, legumes, cereais, leite e derivados e equilibrada quando estes alimentos oferecem quantidades balanceadas de nutrientes - carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, minerais e fibras. em porções adequadas para cada individuo. Melhore seus hábitos alimentares adotando algumas mudanças no seu dia-a-dia e mantenha uma vida saudável e de boa qualidade:
  • Não adote dietas radicais: procure sempre um especialista apto a elaborar um cardápio de acordo com as suas necessidades nutricionais;
  • Respeite a quantidade e a qualidade dos alimentos: Os alimentos devem ser ingeridos em quantidade e qualidade adequadas para suprir todas as necessidades nutricionais sem excesso de calorias. Cada pessoa precisa de um plano alimentar específico;
  • Evite a monotonia: Varie bastante dentre os alimentos de cada grupo. Invente novos pratos;
  • Coma sempre nos mesmos horários;
  • Alimente-se sem pressa;
  • Beba bastante líquido: Mantenha seu organismo hidratado. Água mineral e sucos sem açúcar;
  • Procure ter na despensa alimentos ricos em nutrientes saudáveis: barra de cereais, bolacha integral, fruta ou iogurte natural. Assim, terá sempre algo saudável para comer;
  • Utilize adoçante sempre que puder;
  • Dê preferência às carnes magras: Prepare de preferência cozidas, grelhadas ou assadas;
  • Bebidas alcoólicas são calóricas: Consuma esporadicamente e em pequena quantidade (de preferência nos fins de semana). Evite consumir petiscos gordurosos.
  • No supermercado: Evite ir às compras com fome, evitando assim as tentações das prateleiras. Sempre olhe a informação nutricional nos rótulos dos alimentos: calorias, quantidades de carboidratos, gorduras, fibras, sódio.
  • Movimente-se: Caminhadas regulares, ao menos 3 vezes por semana pela vizinhança, por cerca de 30 a 40 minutos auxiliam na melhora da qualidade de vida.
A quantidade de alimentos que cada pessoa deve ingerir depende do valor calórico total (VCT) que é o valor de energia que precisamos para viver.
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Associação Brasileira de Nutrição

Nenhum comentário:

Postar um comentário